domingo, 23 de setembro de 2018



Pelo terceiro ano seguido Aragão é terra de Marc Márquez. O #93 deu mais um show ao arriscar tudo em uma briga acalorada com Andrea Dovizioso. Saindo da pole, Jorge Lorenzo caiu ainda na primeira curva.

Márquez chegou a Aragão com a missão de frear o bom momento da Ducati no campeonato e sabia que para isso precisaria arriscar. Com o ótimo início de trabalhos para as motos vermelhas que sobraram nos treinos livres e viram Jorge Lorenzo marcar a pole, sua terceira seguida, ficou claro que a Ducati chegava no domingo como grande favorita. 

As coisas começaram a mudar ainda na primeira curva quando, depois de grande largada, Márquez conseguiu assumir a linha de dentro e forçar Lorenzo para a parte suja do traçado. O #99, tentando reacelerar rapidamente para se manter vivo na briga, acabou perdendo a traseira de sua Desmosedici e foi jogado para cima, caindo fortemente no chão e posteriormente sendo diagnosticado com luxação no dedão e microfratura no dedo médio do pé direito. Sem Lorenzo, a briga de Márquez passou a ser com Dovizioso, e eles não decepcionaram. Em um show de ultrapassagens, ambos trocaram de posição de forma constante, inclusive por mais de uma vez na mesma curva. A batalha que se estendeu por um grande número de voltas contou até com toque de carenagens que levou Márquez para fora da pista, posteriormente retornando para continuar brigando e por fim, com duas voltas para o término, ultrapassar Dovizioso de vez para cruzar a linha de chegada com 0.6s de vantagem.

A dupla da Suzuki, formada por Andrea Iannone e Alex Rins, acompanhou essa briga de camarote. Respectivamente na P3 e P4 durante grande parte da prova, ainda que em alguns momentos Rins tenha assumido a P3, a dupla conseguiu acompanhar o ritmo dos ponteiros que, graças a constante troca de posições, não marcavam voltas tão mais rápidas, como seria o natural, dada a diferença de equipamentos. Por fim, Iannone, que chegou a liderar a prova por alguns segundos após contato entre Márquez e Dovi, venceu a briga interna e fechou a prova no pódio, seu terceiro na temporada, nessa que em termos de resultado foi sua melhor corrida em mais de três meses. Rins, assim como já havia feito na corrida passada, em San Marino, fechou na quarta colocação. 

Um surpreendente Aleix Espargaró, como na temporada passada, completou a prova na sexta colocação, nesse que é o melhor resultado da Aprilia na temporada. Pedrosa foi quinto, vide Iannone, conquistando seu melhor resultado em mais de três meses. 

O ponto negativo da corrida, como já esperado, foi a Yamaha. O desempenho das motos de fábrica foi mais uma vez pífio, com Valentino Rossi largando da 17º colocação e Maverick Viñales da 14º, depois de ter classificado em 11º, mas sofrer uma punição no fim da classificação que o fez perder três posições. Na corrida Rossi conseguiu realizar movimentos precisos nas primeiras voltas para logo entrar no top10, fechando a corrida na oitava colocação após ultrapassar Jack Miller na curva 1 com duas voltas para o fim. Viñales fechou na décima colocação depois de chegar a andar fora da zona de pontuação no início da prova. 

No campeonato Márquez é mais líder do que nunca. A vantagem para Dovi agora é de incríveis 72 pontos. Rossi se manteve em terceiro com 159 pontos, 87 menos que Márquez e 29 a mais que Lorenzo e Vinãles, ambos emparados na quarta colocação com 130 pontos cada. 





Saindo da pole o sul-africano conseguiu vencer batalhas contra Álex Márquez e Francesco Bagnaia para conquistar sua segunda vitória na temporada da Moto2.

Apesar de ter partido e mantido a liderança nos primeiros momentos da prova, Binder viu ainda nas voltas iniciais da corrida um faminto Álex Márquez realizar a ultrapassem pela liderança. Precisando urgentemente de um bom resultado, e com o apoio da torcida caseira, Márquez tentou abrir de Binder e até conseguiu temporariamente, mas não manteve o mesmo ritmo de volta durante muito tempo. Binder seguiu Márquez de perto durante toda a primeira parte da prova até, já na segunda metade, conseguir realizar ultrapassagem para reassumir e não mais perder a liderança. O piloto da KTM conseguiu assim encaixar sua segunda vitória na temporada e na Moto2, depois de um fraco ano de estreia na categoria intermediária do mundial de motovelocidade. 

Mais atrás Bagnaia assistia de camarote a briga pela liderança. Apesar de ter tomado um rápido susto quando tentou ultrapassar Binder, então na segunda colocação, e quase caiu ao ligeiramente tocar a dianteira da sua moto na traseira da KTM do sul-africano, a corrida de Bagnaia foi tranquila. Acompanhou a briga e, diante de um já fragilizado Márquez, conseguiu ser cirúrgico para em movimento único ultrapassar o espanhol pela segunda colocação. O líder do campeonato ainda esboçou uma perseguição ao líder da prova, mas ficou sem tempo, finalmente cruzando a linha de chegada 1.5s atrás de Binder. 

O pesadelo de Márquez na segunda parte da corrida não acabou nas perdas de posição para Binder e Bagnaia. Com pneus já bem desgastados o #73 ainda brigou bravamente, mas não conseguiu segurar Lorenzo Baldassarri que em corrida muito inteligente conseguiu se manter no grupo da frente e por fim ultrapassar Márquez pelo pódio. Marcel Schrotter fechou na quinta colocação, com Joan Mir em sexto e Miguel Oliveira, vice-líder do campeonato, em sétimo. 

Oliveira mais uma vez esbarrou no ritmo de classificação. Largando apenas da 18º colocação o português até conseguiu escalar o grid com certa velocidade, mas a posição de largada comprometeu o resultado desde o princípio. O avanço até o top10 foi rápido, precisando de menos de 10 voltas para fazê-lo, mas daí em diante as coisas dificultaram para o #44 que viu Bagnaia novamente terminar a sua frente e aumentar a vantagem na liderança do campeonato.

Bagnaia, com duas vitórias e uma segunda colocação nas últimas três corridas disputadas, agora carrega 19 pontos de vantagem para Oliveira. Binder agora é terceiro, com 144 pontos, seguido Baldassarri em quarto com 132 e Márquez em quinto com 126. 



No fim de semana em que conquistou sua nona pole na temporada e 18º na carreira, Jorge Martín fez um verdadeiro passeio pelas belas curvas de Aragão para vencer a sexta corrida na temporada e abrir 13 pontos de vantagem para Bezzecchi.

Abrindo desde a largada, o espanhol de 20 anos conseguiu logo se distanciar dos demais. Virando constantemente mais rápido desde os primeiros momentos Martín logo se distanciou do grande pelotão formado atrás por mais de dez motos. Seis voltas se passaram e a vantagem do #88 já batia incríveis 4s. A vantagem só aumentou com o passar das voltas, batendo os sete segundos e no fim ficando em 5.984s, a vantagem que Martín carregou na bandeira para garantir mais uma vitória.

Marco Bezzecchi. principal adversário de Martín no campeonato, saiu apenas da sexta colocação e logo teve que se arriscar para liderar o grupo. Alcançar Martín nunca foi uma opção real mas era necessário liderar o pelotão para assim minimizar os danos na disputa pelo campeonato, e foi exatamente isso que o italiano da KTM fez. Como não poderia deixar de ser, Bezzecchi passou por alguns sustos no meio da disputa com o grande pelotão, chegando a ser empurrado para fora da pista no terço final da prova e assim caindo para o fim do top10, mas logo se recuperando para cruzar a linha de chegada na segunda colocação. Enea Bastianini fechou o pódio, mesma posição onde largou. 

Terceiro colocado no campeonato, Fabio Di Giannantonio completou a prova na quarta colocação depois de se manter na briga pelo topo do pelotão durante grande parte da prova, mas nunca realmente fazendo frente para Bezzecchi. Marcos Ramírez completou o top5 para conquistar seu melhor resultado em quase dois meses. 

Dois pontos negativos na prova foram os desempenhos de Jaume Masiá e Arón Canet, ambos correndo em casa. Masiá saiu da primeira fila mas, ainda se recuperando de uma lesão no ombro esquerdo depois de forte queda no warm up, o piloto da KTM não conseguiu manter o bom desempenho da classificação e fechou a prova na nona colocação. Canet por sua vez já entrou no fim de semana com dificuldades físicas mas mesmo assim conquistou uma brava terceira fila na classificação. Os problemas físicos no entanto cobraram seus dividendos na prova com o piloto da Estrella Galicia 0,0 logo perdendo ritmo e posteriormente abandonando com muitas dores. 

No campeonato Jorge Martín aumentou para 13 pontos sua vantagem sobre Bezzecchi. Com a segunda colocação o italiano não apenas segurou o ímpeto e Martín como também aumentou para 28  pontos sua vantagem na vice liderança do campeonato em comparação com Di Giannantonio.



domingo, 9 de setembro de 2018


A etapa deste final de semana da MotoGP em San Marino teve apenas um nome. O italiano Andrea Dovizioso, correndo em casa, levou a Ducati a vitória com muita tranquilidade. Antes da metade da corrida ele despachou os rivais e correu só até a quadriculada. Segue abaixo o relato da prova:

Na largada Jorge Lorenzo manteve a ponta seguido de Jack Miller e Marc Marquez. Ainda no primeiro giro Andrea Dovizioso passou Marquez para ficar com a terceira posição. Ele foi então para cima de Miller e pulou para segundo. Marquez foi junto e Miller caiu para quarta colocação.

Na volta três, porém, a boa prova de Miller acabou depois que ele caiu. Na briga pela quarta colocação Alex Rins superou Maverick Viñales na quatro. Cal Crutchlow foi de carona e pulou para quinto. Na seis a briga era lá na frente e Dovizioso deixou Lorenzo para trás para liderar.

Na 13 foi a vez de Marquez passar por Lorenzo e assumir a segunda colocação. O espanhol da Ducati tentou dar o troco duas voltas depois, mas levou o “xis” do da Honda. Lorenzo não largou o “osso”, tentou novamente com 10 para o fim e daí conseguiu completar a ultrapassagem.

Com duas para o fim Lorenzo caiu e saiu da briga pelo pódio. Crutchlow acabou herdando a terceira posição. Daí para o fim não houve mais mudanças e Dovizioso confirmou a vitória com tranquilidade. No campeonato Marquez segue na ponta, agora com 221 pontos contra 154 de Dovizioso e 151 de Valentino Rossi.

Segue abaixo o resultado da corrida:

1
4Andrea DOVIZIOSOITADucati TeamDucati
42'05.426
2
93Marc MARQUEZSPARepsol Honda TeamHonda
+2.822
3
35Cal CRUTCHLOWGBRLCR Honda CASTROLHonda
+7.269
4
42Alex RINSSPATeam SUZUKI ECSTARSuzuki
+14.687
5
25Maverick VIÑALESSPAMovistar Yamaha MotoGPYamaha
+16.016
6
26Dani PEDROSASPARepsol Honda TeamHonda
+17.408
7
46Valentino ROSSIITAMovistar Yamaha MotoGPYamaha
+19.086
8
29Andrea IANNONEITATeam SUZUKI ECSTARSuzuki
+21.804
9
19Alvaro BAUTISTASPAAngel Nieto TeamDucati
+23.919
10
5Johann ZARCOFRAMonster Yamaha Tech 3Yamaha
+27.559
11
9Danilo PETRUCCIITAAlma Pramac RacingDucati
+30.698
12
21Franco MORBIDELLIITAEG 0,0 Marc VDSHonda
+32.941
13
30Takaaki NAKAGAMIJPNLCR Honda IDEMITSUHonda
+33.461
14
41Aleix ESPARGAROSPAAprilia Racing Team GresiniAprilia
+35.686
15
51Michele PIRROITADucati TeamDucati
+35.812
16
38Bradley SMITHGBRRed Bull KTM Factory RacingKTM
+46.500
17
99Jorge LORENZOSPADucati TeamDucati
+46.614
18
43Jack MILLERAUSAlma Pramac RacingDucati
+50.593
19
55Hafizh SYAHRINMALMonster Yamaha Tech 3Yamaha
+55.168
20
17Karel ABRAHAMCZEAngel Nieto TeamDucati
+1'02.255
21
45Scott REDDINGGBRAprilia Racing Team GresiniAprilia
+1'09.475
22
12Thomas LUTHISWIEG 0,0 Marc VDSHonda
+1'12.608
23
23Christophe PONSSONFRAReale Avintia RacingDucati
1 Lap
Not Classified


6Stefan BRADLGERHRC Honda TeamHonda
10 Laps


44Pol ESPARGAROSPARed Bull KTM Factory RacingKTM
10 Laps


10Xavier SIMEONBELReale Avintia RacingDucati
25 Laps


A disputa do campeonato da Moto2 neste ano está emocionante. Se na última prova o português Miguel Oliveira colou no italiano Francesco Bagnaia, correndo em casa em San Marino o piloto da Sky Racing Team Vr46 conseguiu dar o troco, venceu e abriu novamente na tabela. Mas Oliveira não deixou o rival escapar muito, terminou em segundo e segue vivo na briga. Segue abaixo o relato da corrida:

Na largada Francesco Bagnaia manteve a ponta seguido de Marcel Schrotter e Brad Binder. Ainda no primeiro giro Alex Marquez caiu depois de ser tocado por Augusto Fernandez e voltou nas últimas posições. No segundo giro Mattia Pasini, que já havia superado Binder, passou também pelo Schrotter para chegar a segunda colocação. Miguel Oliveira e Joan Mir foram outros que deixaram Binder para trás.

Não demorou muito para o português passar também pelo Schrotter, mas daí Bagnaia e Pasini já tinha construído uma boa vantagem. Na 10 o motor da moto de Luca Marini estourou e ele teve que abandonar. Na 13 foi a vez de Sam Lowes que caiu abandonou. Com nove para o fim Oliveira conseguiu deixar Pasini para trás para ficar com a segunda posição. Depois de algumas voltas Schrotter fez o mesmo. Daí para frente não houve mudanças e Bagnaia confirmou a vitória.

Correndo em casa o italiano Lorenzo Dalla Porta chegou a primeira vitória da carreira na Moto3 neste domingo em San Marino. Numa prova marcada por alguns acidentes, Dalla Porta venceu por muito pouco. Três pilotos cruzaram a linha de chegada lado a lado, mas ele levou a melhor por apenas 58 milésimos. Segue abaixo o relato da corrida:

Na largada Gabriel Rodrigo manteve a ponta, mas foi superado por Fabio Di Giannantonio ainda no primeiro giro. Jorge Martin, que largou da pole, caiu para terceiro. Na abertura da volta dois Marco Bezzecchi conseguiu superar tanto Martin quanto Rodrigo para ocupar a vice-liderança.

No fim da volta dois uma acidente muito forte envolvendo Enea Bastianini, Jaume Masia, Aron Canet, Ayumu Sasaki e Nicolo Bulega assustou a todos. De volta a pista, Bezzecchi passou também por Giannantonio para liderar.  Na oito foi a vez de Lorenzo Dalla Porta puxar o pelotão na primeira colocação.

Os cinco pilotos (Dalla Porta, Di Giannantonio, Bezzecchi, Martin e Rodrigo) formavam o pelotão dianteiro com 10 voltas para o fim. Com três para o fim Di Giannantonio errou a freada, espalhou e perdeu o contato. Na penúltima Martin tocou em Bezzecchi que caiu. No fim os três primeiros cruzaram lado a lado com vitória de Dalla Porta seguido de Martin e Di Giannantonio.

Segue abaixo o resultado final da corrida:

1
48Lorenzo DALLA PORTAITALeopard RacingHonda
39'38.684
2
88Jorge MARTINSPADel Conca Gresini Moto3Honda
+0.058
3
21Fabio DI GIANNANTONIOITADel Conca Gresini Moto3Honda
+0.122
4
19Gabriel RODRIGOARGRBA BOE Skull RiderKTM
+0.822
5
84Jakub KORNFEILCZERedox PruestelGPKTM
+6.553
6
75Albert ARENASSPAAngel Nieto Team Moto3KTM
+6.859
7
10Dennis FOGGIAITASKY Racing Team VR46KTM
+7.315
8
40Darryn BINDERRSARed Bull KTM AjoKTM
+7.380
9
16Andrea MIGNOITAAngel Nieto Team Moto3KTM
+8.608
10
23Niccolò ANTONELLIITASIC58 Squadra CorseHonda
+8.853
11
14Tony ARBOLINOITAMarinelli Snipers TeamHonda
+10.408
12
7Adam NORRODINMALPetronas Sprinta RacingHonda
+10.783
13
27Kaito TOBAJPNHonda Team AsiaHonda
+27.817
14
77Vicente PEREZ SPAReale Avintia Academy 77KTM
+27.897
15
22Kazuki MASAKIJPNRBA BOE Skull RiderKTM
+28.062
16
42Marcos RAMIREZSPABester Capital DubaiKTM
+47.155
17
81Stefano NEPAITACIP - Green PowerKTM
+34.385
18
41Nakarin ATIRATPHUVAPATTHAHonda Team AsiaHonda
+47.510
19
55Yari MONTELLAITASIC58 Squadra CorseHonda
+47.577
20
3Kevin ZANNONIITATM Racing Factory 3570 MTATM RACING
1 Lap
Not Classified


12Marco BEZZECCHIITARedox PruestelGPKTM
2 Laps


24Tatsuki SUZUKIJPNSIC58 Squadra CorseHonda
4 Laps


17John MCPHEEGBRCIP - Green PowerKTM
12 Laps


5Jaume MASIASPABester Capital DubaiKTM
22 Laps


44Aron CANETSPAEstrella Galicia 0,0Honda
22 Laps


71Ayumu SASAKIJPNPetronas Sprinta RacingHonda
22 Laps


33Enea BASTIANINIITALeopard RacingHonda
22 Laps


8Nicolo BULEGAITASKY Racing Team VR46KTM
22 Laps


72Alonso LOPEZSPAEstrella Galicia 0,0Honda
22 Laps

sexta-feira, 7 de setembro de 2018



Depois de perder sua vaga na equipe de fábrica da KTM, o britânico mudará não só de casa, mas de posição, assumindo a moto de testes da Aprilia. 

A montadora italiana confirmou que existe a intenção de alinhar Smith como wildcard em um determinado número de corridas durante a temporada 2019, ainda que o número e os locais não tenham sido definidos até o momento. 

Depois de perder sua vaga para Johann Zarco, Smith logo percebeu que ficaria sem uma moto titular para a próxima temporada, declarando ainda em julho que 2019 seria um ano de transição em sua carreira. 

Smith chegou a MotoGP com a Tech3 Yamaha depois de duas temporadas tímidas na Moto2. De fato, o melhor resultado do inglês no mundial de motovelocidade data de 2009, quando ainda na 125cc foi vice-campeão. Em cinco temporadas completas na MotoGP Smith tem um pódio em Phillip Island 2014 como seu melhor resultado. Na temporada 2018 Smith tem a 10º colocação no GP da Alemanha, disputado no Sachsenring, como seu melhor resultado e é 19º colocado no campeonato com 15 pontos. 



O Mundial de Motovelocidade chega neste fim de semana a San Marino para a 13º etapa da temporada. Depois da grande decepção na Grã-Bretanha, quando a chuva e o asfalto de Silverstone impediram a realização das atividades de domingo, os pilotos voltam a pista mais uma vez.

A etapa de Misano é mais uma corria de casa para Valentino Rossi que terá as arquibancadas do seu lado. O multicampeão, que retorna a San Marino depois de não competir no último ano por ainda se recuperar de lesão, mais uma vez tentará domar a sua Yamaha M1 para um bom resultado na corrida caseira onde venceu pela última vez em 2014. 

Ao todo Rossi possui três vitórias no circuito, mesmo número de Jorge Lorenzo que vem de vitória e pole nas duas últimas etapa da temporada 2018. A Dupla da Honda, Marc Márquez e Dani Pedrosa, tem duas vitórias cada, com o #93 tendo sido o vencedor no último ano para estender para três o número de corridas seguidas em Misano com domínio da Honda. 

Sexta, 07 de Setembro

04:00 - Moto3 - Treino livre 1
04:55 - MotoGP - Treino livre 1
05:55 - Moto2 - Treino livre 1
08:10 - Moto3 - Treino livre 2
09:05 - MotoGP - Treino livre 2
10:05 - Moto2 - Treino livre 2

Sábado, 08 de Setembro

04:00 - Moto3 - Treino livre 3
04:55 - MotoGP - Treino livre 3
05:55 - Moto2 - Treino livre 3
07:35 - Moto3 - Classificação - Transmissão SporTV2
08:30 - MotoGP - Treino livre 4 - Transmissão SporTV2
09:10 - MotoGP - Classificação - Transmissão SporTV2
10:05 - Moto2 - Classificação - Transmissão SporTV2

Domingo, 09 de Setembro

03:40 - Moto3 - Warm up
04:10 - Moto2 - Warm up
04:40 - MotoGP - Warm up
06:00 - Moto3 - Corrida - Transmissão SporTV2
07:20 - Moto2 - Corrida - Transmissão SporTV2
09:00 - MotoGP - Corrida - Transmissão SporTV2



sábado, 25 de agosto de 2018


Após 16 anos no paddock do mundial de motovelocidade, Álvaro Bautista partirá para um novo desafio em 2019. 

A confirmação da mudança para a Ducati no Mundial de Superbike, onde será companheiro de Chaz Davies, apresenta-se como grande oportunidade para Bautista que se viu sem assento para permanecer na MotoGP, uma vez que a Angel Nieto Ducati, onde ele corre atualmente, deixará o certame ao fim desta temporada. 

Na superbike Bautista substituirá Marco Melandri que está com a equipe italiana desde 2017, sendo quarto colocado no seu primeiro ano com a equipe e quinto colocado na temporada atual, conquistando três vitórias nesses dois anos. 

No mundial de motovelocidade Bautista tem um título na 125 cc em 2006 e um vice campeonato em 2008 na 250 cc, sempre de Aprilia. A transição para a MotoGP aconteceu em 2010 onde em oito temporadas completas conquistou 3 pódios e uma pole passando por Rizla Suzuki, Gressini Honda-Aprilia, Aspar e Angel Nieto Ducati. Na atual temporada Bautista ocupa a 13º colocação no campeonato fazendo um bom trabalho com o equipamento limitado que tem nas mãos. 

Com a chegada de Bautista na Ducati agora as duas principais forças do mundial tem confirmadas suas duplas para a próxima temporada, com a Kawasaki tendo anunciado meses atrás que Leon Haslam substituirá Tom Sykes nas motos verdes. 

domingo, 19 de agosto de 2018


Depois de perder a corrida 1 nos últimos milésimos e ver sua sequência de vitórias interrompida, Granado voltou a pista pronto para dar o troco, e assim o fez. O piloto de 22 anos conseguiu ultrapassar Alex Barros nos últimos momentos da prova para conquistar sua quinta vitória na temporada.

Assim como na corrida 1, a segunda prova foi caracterizada pela briga acalorada entre Granado e Barros. O #4 mais uma vez largou na frente e lá se manteve, passando grande parte da prova segurando os avanços de Granado que constantemente marcava voltas mais rápidas. As trocas de posições pela liderança aconteceram de forma constante, inclusive na última volta, com o experiente piloto da BMW mais uma vez dando uma aula de defesa de posição. No fim, usando o mesmo movimento realizado por Barros para vencer a primeira prova, Granado conseguiu sair melhor da subida dos boxes e, aproveitando o vácuo de Barros, ganhou mais velocidade para nos últimos momentos antes da bandeirada realizar a ultrapassagem e vencer a corrida por apenas 0.014s.

Pedro Sampaio, companheiro de Granado na Honda, mais uma vez fechou o pódio, garantindo assim mais 16 pontos que o deixam vivo na briga pela vice liderança do campeonato. A terceira colocação de Sampaio veio após ultrapassar Maximilano Gerardo nos momentos finais da prova. O uruguaio perdeu a tangência na curva do Café e chegou a atingir a barreira de proteção mas conseguiu seguir e terminar a prova na 4º posição.

Entre os pilotos da classe Extreme vitória de Rodrigo Dazzi. O líder do campeonato venceu briga apertada com Jeferson Friche e Diego Viveiros para garantir a quinta vitória no ano. Davi Costa, vencedor da corrida 1, caiu ainda na primeira volta.

No campeonato Granado é mais líder do que nunca, agora abrindo 50 pontos de vantagem para Gerardo. Alex Barros é terceiro, um ponto atrás de Gerardo, e Pedro Sampaio é o quarto, sete pontos atrás de Barros.

Na Extreme Rodrigo Dazzi lidera com 146 pontos conquistados, 37 de vantagem para Jeferson Jeferson Friche. Davi Costa (91 pontos) é o terceiro.