sábado, 25 de fevereiro de 2017

Não poderia começar melhor a temporada 2017 do Mundial de Superbike em Phillip Island na Austrália. Foram várias alternâncias de liderança e de posições entre os cinco primeiros com três montadoras diferentes (Kawasaki, Ducati e Yamaha). Mas no fim, depois de muita briga, o resultado foi o mesmo dos dois últimos anos com vitória do inglês Jonathan Rea. Segue abaixo o relato da corrida:

Na largada as Ducati pularam na frente das Kawasaki com Marco Melandri e Chaz Davies. Mas ainda no primeiro giro Jonathan Rea, que largou da pole, passou por Davies e recuperou uma posição. Tom Sykes foi junto e Davies voltou ao quarto posto. No início da segunda volta as Kawasaki colocaram ordem na casa com Rea e Sykes passando por Melandri.

Na quinta colocação a briga também estava boa entre Xavi Forés e Alex Lowes. Na terceira volta Melandri passou novamente por Sykes e voltou para segundo. No fim da mesma volta Davies também passou por Sykes na briga pela terceira colocação. Na briga interna dos pilotos da montadora italiana, Davies passou por Melandri e foi pra cima de Rea.

Forés tentou passar por Sykes no quarto giro, mas errou e perdeu a posição para Lowes. No quinto giro Rea cometeu um pequeno erro, atrapalhou Davies e com isto Melandri passou os dois para liderar. Lorenzo Savadori caiu na volta seis e deu adeus a corrida. Na volta nove foi a vez de Tom Sykes liderar a corrida com um surpreendente Alex Lowes em segundo.

Na 10 Lowes passou por Sykes e pulou para primeiro com sua Yamaha. Duas voltas depois, no entanto, Jonathan Rea recuperou a ponta. Na 14, Melandri que estava brigando com Lowes pelo quarto posto, caiu e despencou na tabela de classificação. A briga pela ponta continuou alucinante e com seis voltas para o fim Rea foi superado por Sykes e Davies.

Na abertura da última volta Davies passou por Rea, mas abriu demais na primeira curva e levou o troco. Os dois seguiram brigando durante toda a volta e Rea venceu por apenas 42 milésimos de segundo. A briga pela terceira colocação também foi quente e Lowes tentou passar por Sykes, mas o piloto da Kawasaki cruzou 32 milésimos a frente do da Yamaha.

Segue abaixo o resultado final da corrida:

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Está no ar mais uma edição do Motocast, o seu podcast sobre as duas rodas. Novamente falando sobre o AMA Supercross e a edição de Minneapolis, que teve outra vitória de Eli Tomac, a terceira da temporada. A abertura da temporada 2017 da 250sx East também foi destaque na edição.

Para ouvir, clique no play abaixo:



Durante a edição Hélio Lima comentou sobre uma vitória brasileira em Daytona. Segue abaixo o vídeo:

Depois do péssimo resultado em Arlington, quando caiu e teve que abandonar, Eli Tomac (Kawasaki) deu a volta por cima neste final de semana em Minneapolis. Ele não venceu a "heat" dele, terminou atrás de Jason Anderson (Husqvarna), mas na corrida principal foi diferente. Ele assumiu a ponta ainda nas primeiras voltas e imprimiu um ritmo fortíssimo e colocou uma volta até no sétimo colocado da corrida. Desta forma ele reaproximou de Ryan Dungey (KTM) e Marvin Musquin (KTM) no campeonato.

O dia de competição começou com uma baixa importante. Cooper Webb (Yamaha), uma das sensações da temporada, caiu e se lesionou e ficou fora das demais atividades do dia. Por outro lado Joshua Grant (Kawasaki), que voltou depois de uma lesão em Oakland, conseguiu se classificar para a corrida principal direto pelo "heat". Outro que retornou a categoria neste final de semana foi Justin Barcia (Suzuki). Ele se lesionou na pré-temporada, perdeu as seis primeiras corridas e só agora estreou no campeonato.

A corrida principal começou com "holeshot" de Cole Seely (Honda), mas ele caiu sozinho no meio da primeira volta e jogou o bom início no lixo. David Millsaps (KTM) assumiu a ponta, mas não demorou muito lá. Ele começou a perder rendimento ainda nas primeiras voltas e perdeu diversas posições. Foi superado por Tomac e Dungey com três minutos e na sequência também foi ultrapassado por Musquin, Anderson e Seely. Tomac não deu chance a ninguém, acelerou forte e venceu com tranquilidade. No fim da corrida Musquin passou Dungey e terminou na segunda colocação.

Segue abaixo o resultado final da corrida:

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017


Depois de um tempo desativado, o site Moto-Velocidade volta a gravar o Motocast inspirado pela paixão pelo Supercross/Motocross. Nesta primeira edição Diogo Gomes, Hélio Lima e Thiago Raposo fazem um breve overview das primeiras provas da temporada 2017 do AM Supercross.

Comentamos sobre alguns aspectos das regras, das montadoras envolvidas, dos grandes nomes, das jovens promessas, de quem anda decepcionando e muito mais. Cobrimos tanto a 450sx quando a 250sx. Ouçam e nos escrevem no email site.motovelocidade@gmail.com com críticas, sugestões e perguntas.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Foi por pouco que Shane Mcelrath não conseguiu empatar com Justin Hill no número de vitórias na 250sx West no último sábado em Arlington. O piloto da KTM fez o "holeshot" e dominou a prova até dois minutos para o fim, quando um problema na dianteira o obrigou a recolher a moto nos boxes. Com isto Justin Hill (Kawasaki) assumiu a ponta e venceu a quarta corrida consecutiva.

Os dois se classificaram para a "main race" vencendo cada um uma "heat". Na largada tomaram logo as duas primeiras posições com Mcelrath a frente de Hill e fizeram uma corrida a parte. Quem também se destacou foi Aaron Plessinger (Yamaha), que não largou bem e caiu pra nono, mas foi escalando o pelotão passando  os rivais um a um até chegar a terceira colocação.

Confira abaixo o resultado final da corrida:


domingo, 12 de fevereiro de 2017


Final de semana especial para o jovem Marvin Musquin (KTM). Ele que já havia mostrado para o mundo o talento na temporada passada, a primeira dele na 450sx, conquistou a primeira vitória na categoria neste último final de semana em Arlington. Ele fez o "holeshot" e disparou na frente, não foi mais incomodado pelos rivais. No fim Musquin terminou 5,332 segundos a frente de Cole Seely (Honda).

Outro jovem piloto que começou muito bem foi Cooper Webb (Yamaha), atual campeão da 250sx e estreante no ano. Ele pulou para segundo no início e chegou a criar a expectativa de que veríamos outro "round" entre ele e Musquin. Mas Webb perdeu rendimento após cerca de seis minutos de corrida foi foi ultrapassado por Cole Seely, Eli Tomac (Kawasaki), Jason Anderson (Husqvarna) e Ryan Dungey (KTM).

Tomac, que havia vencido as duas últimas etapas (Oakland e Glendale), estava numa bela terceira colocação e começou a ir para cima de Seely brigar pelo segundo posto, mas ele acabou caindo e teve que abandonar. Com isto Anderson subiu para terceiro. Ryan Dungey, irreconhecível, largou muito mal, mas até que conseguiu uma boa recuperação e fechou a prova em quarto.

Confira abaixo o resultado final da corrida:

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017


Shane Mcelrath (KTM) começou o campeonato com tudo e emendou duas vitórias seguidas na duas primeiras etapas. Mas daí surgiu Justin Hill (Kawasaki) na caminho dele e o piloto cravou três vitórias consecutiva e desta forma assumiu a liderança do campeonato. Agora Hill tem 113 pontos contra 112 de Mcelrath.

A última prova aconteceu em Oakland e o "holeshot" ficou com Martin Davalos (Husqvarna), mas ele foi superado ainda no primeiro giro por Hill. Enquanto isto Mcelrath perdia terro e perdeu o terceiro posto para James Decotis (Honda). A situação entre os quatro primeiros se estabilizou e eles foram se distanciando entre eles.

Com três voltas para o fim, no entanto, Hill caiu e quase jogou tudo por água abaixo. Mas como o piloto da Kawasaki tinha uma distância bem confortável para o rival, ele conseguiu levantar e continuar ainda na frente, mas pressionado por Davalos. Daí para o fim não houve mais mudanças e Hill confirmou a vitória.

O ponto negativo da etapa ficou por conta de Austin Forkner (Kawasaki) que brigava contra Davalos nas primeiras curvas pela liderança, mas caiu e foi atropelado pelos rivais que vinham atrás. Por sorte parece ter sido apenas o susto.

Segue abaixo o resultado final de Oakland: