quarta-feira, 9 de novembro de 2016


Neste próximo final de semana o Mundial de Motovelocidade vai até Valência para fechar a temporada 2016. Não é, com certeza, o fim de campeonato dos mais esperados, pois as três categorias já definiram seus campeões. Marc Marquez na MotoGP, sendo mesmo assim o favorito para vencer na Espanha tendo nas apostas da bet365 2.56 de odds para o conseguir, Johann Zarco na Moto 2 e por fim Brad Binder na Moto3.

Na categoria principal esperava-se muito de 2016 devido ao clima em que a temporada passada acabou. A guerra entre o italiano Valentino Rossi da Yamaha e o espanhol Marc Marquez da Honda, onde o italiano foi acusado de chutar o espanhol e derrubá-lo de forma proposital e com as trocas de farpas entre Valentino Rossi e o espanhol Jorge Lorenzo, também da Yamaha, que ficou com o título no fim.

Porém, houve uma mudança muito grande no regulamente, o que demandou um certo tempo para que as equipes assimilassem e que, de certa forma, influenciou bastante no resultado. A Michelin passou a ser a fornecedora de pneus no lugar da Bridgestone e isto mudou completamente o comportamento das motos. Houveram várias quedas no início da temporada e aquele que conseguiu se manter mais vezes em cima da moto, levou o título.

O francês Johann Zarco, campeão de 2015, continuou na Moto2 para brigar pelo bicampeonato. Foi, sem dúvida, a categoria mais empolgante das três para se acompanhar. Zarco teve que enfrentar concorrentes de alto nível como o espanhol Alex Rins, o inglês Sam Lowes, o alemão Jonas Folger, o italiano Franco Morbidelli e o suíço Thomas Luthi. Mas no fim, o francês cumpriu bem a sua tarefa e sagrou-se bicampeão da Moto2. Ele está de passaporte assinado para a MotoGP, em 2017, onde defenderá as cores da Monster Yamaha Tech 3.

Já a Moto3, categoria com as corridas mais fantásticas, teve a disputa pelo título mais sem graça de todas. O sul-africano Brad Binder dominou do início ao fim. Emendou uma sequência de vitórias impressionante e deixou o mundo boquiaberto em Jerez, quando largou do fim do grid e passou 35 motos para ficar com a vitória. Ele também foi promovido e vai correr na Moto2 pela equipe Red Bull KTM Ajo, em 2017.

Binder ainda teve a sorte, pois praticamente os principais rivais tiveram problemas na temporada. O italiano Romano Fenati foi demitido no meio da temporada, o italiano Enea Bastianini perdeu duas corridas por contusão, o italiano Francesco Bagnaia tinha uma Mahindra nas mãos, moto com menos qualidade, e o espanhol Jorge Navarro também ficou fora de uma etapa.

Apesar de serem corridas apenas para cumprir tabela, com certeza devem ser recheadas de emoção, assim como foram por todo 2016. O negócio é ficar de olho em todos os bastidores da categoria e domingo se ligar no SporTV para se despedir em grande estilo das "magrelas". Na semana que vem o podcast Café com Velocidade vem com uma análise completa da categoria principal e o Cafeteria tratará da Moto2 e Moto3 no futuro.

0 comentários:

Postar um comentário