quinta-feira, 22 de março de 2018


O italiano Antonio Cairoli (KTM) achou uma sarna para se coçar em 2018. O holandês Jeffrey Herlings (KTM) veio determinado a infernizar a vida do companheiro de equipe mais experiente. Na Argentina ele já havia feito isto e na Holanda repetiu. Viu Cairoli sumir no início, como um bom caçador gosta de fazer com sua caça e depois foi atrás para alvejá-lo.

Cairoli fez o “holeshot” nas duas corridas e Herlings não começou tão bem. Caiu para sexto na primeiro e sétimo na segunda. Mas daí colocou todo o talento para trabalhar e foi atrás dos rivais, os passando um a um e em alguns casos se beneficiando de algumas quedas, como as de Tim Gajser em ambas provas.

Chegar em segundo foi tarefa fácil para Herlings, mas daí Cairoli já estava mais de dez segundos a frente. Daí a “brincadeira” de gato e rato começava. Ele começava a detonar volta a volta a diferença para o italiano e mesmo a equipe avisando da aproximação, Cairoli não tinha o que fazer. Na primeira prova ele chegou a cair no desespero de andar mais rápido e na segunda prova foi superado no zerar do cronômetro.

Os demais destaques da etapa foram: na primeira prova o inglês Max Anstie (Husqvarna) que conquistou um belo TOP5 depois de brigar contra Romain Febvre (Yamaha), Glenn Coldenhoff (KTM) e Gajser. Na segunda prova foi a vez do outro piloto da Husqvarna, Gautier Paulin se destacar com um pódio na terceira colocação.

Segue abaixo o resultado final no overall: