terça-feira, 22 de maio de 2018



Márquez fez da etapa francesa mais uma de essencial importância na caminhada para mais um título. Em corrida de erros e muitas quedas, Márquez pôde aproveitar dos pontos negativos evidenciados por seus adversários e, com um escolha de pneu fora do usual, partir para mais uma vitória na temporada.

Esse foi o terceiro triunfo do piloto espanhol no ano. Primeira vez desde 2014 – quando começou a temporada com 10 vitórias – que Márquez consegue encaixar três vitórias seguidas. Essa foi ainda a vitória de número 38 na classe rainha para o piloto de 25 anos o que o coloca, ao lado de Casey Stoner, como o quinto colocado na lista dos pilotos com maior número de vitórias na história do certame.

A vitória de Márquez foi facilidade pelo erros de Andrea Dovizioso, que caiu ainda no início da corrida quando liderava a prova, e Johann Zarco, outro que caiu antes da metade da prova, esse depois de largar da pole em sua corrida de casa.

Ainda que duas motos da Ducati tenham começado a corrida fazendo um 1-2, quem conseguiu colocar uma moto de Borgo Panigale no pódio de fato foi Danilo Petrucci. O italiano já havia mostrado grande trabalho ao classificar-se na primeira fila, e na corrida não foi diferente. Ganhando posições depois de uma largada não ideal, Petrucci usou o período de briga entre Márquez e Lorenzo na liderança da corrida para descontar rapidamente a vantagem que os dois campeões haviam construído no início da prova e na segunda parte da corrida conseguiu, em um movimento perfeito, a ultrapassagem em cima de Lorenzo para fechar a corrida na segunda colocação.

Valentino Rossi completou o pódio depois de largar apenas da nona colocação. O Doutor conseguiu desde as primeiras voltas encaixar um ritmo implacável, com variação quase zero nos seus tempos de volta, e com isso foi rapidamente subindo pelo grid para fechar a etapa em uma sólida terceira colocação. Ainda que o jejum de vitórias da Yamaha caminhe para incríveis 11 meses de duração, Rossi conseguiu buscar o potencial da M1 para superar  seu companheiro de equipe Maverick Vinãles que, ainda que tenha melhorado seu desempenho na parte final da corrida, fechou a etapa apenas na sétima colocação.

Jack Miller, em um de suas melhores corridas na carreira, fechou a etapa na quarta colocação de forma impressionante, com Pedrosa quinto e Lorenzo – sem ritmo na segunda parte da corrida graças à degradação acentuada dos pneus macios escolhidos para a prova – em sexto.

Um dos grandes pontos da corrida foi à incrível participação de Cal Crutchlow. Depois de sofrer um acidente fortíssimo na classificação, o piloto foi socorrido e levado para o hospital mais próximo para melhor análise de sua condição. Após passar toda a noite em observação, Cal foi liberado para correr e, ainda que com claras limitações físicas, fechou a etapa francesa em uma heróica oitava colocação. 

Aleix Espargaró fechou a prova na nona posição, seu melhor resultado na temporada, e Alex Rins – voltando a completar uma corrida depois de dois abandonos seguidos – fechou o top10.

Com a terceira vitória na temporada Márquez agora tem 95 pontos no campeonato de pilotos, 36 pontos a frente de Maverick Viñales que se mantém na segunda colocação mesmo depois de dois resultados ruins. Outro que manteve sua posição mesmo com um resultado ruim foi Johann Zarco que segurou a terceira colocação do campeonato, 37 pontos atrás de Márquez.


A MotoGP retomará suas atividades entre os dias 01 e 03 de junho quando realizará em Mugello, na Itália, a sexta etapa da temporada.