domingo, 15 de julho de 2018




Nada pode parar Marc Márquez no Sachsenring. Com o histórico assustador de oito vitórias nas últimas oito corridas, o espanhol naturalmente chegou em território alemão como o grande favorito, e mais uma vez foi impecável para encaixar mais uma vitória, a nona seguida no Sachsenring, e a quinta na temporada.

Ainda que a largada não tenha sido boa, com Lorenzo pulando na frente e deixando-o para brigar com Rossi e Petrucci, Márquez se manteve no grupo da frente e impôs seu ritmo conforme a corrida foi passando. Na metade da prova o #93 já aparecia isolado na segunda posição e perseguindo de perto Lorenzo pela liderança. A ultrapassagem - belíssima por sinal - não demorou para acontecer. Após assumir a ponta, foi apenas questão de tempo até que o piloto da Honda abrisse grande vantagem para seus principais concorrentes, cruzando a linha de chegada com 2.1s de vantagem para Valentino Rossi.

Rossi, depois de uma classificação atípica, passou grande parte da corrida na terceira colocação, observando a briga dos ponteiros e aguardando sua chance. Não foi possível alcançar Márquez, mas no primeiro erro cometido por Lorenzo o doutor tratou de rapidamente assumir a segunda colocação e com muita classe manter um ritmo impecável para nesta posição terminar a prova, seu melhor resultado na temporada.

Por outro lado, a briga pela terceira colocação passou longe de ser tão tranquila. Um Lorenzo sem ritmo, possivelmente por desgaste de pneu depois de ser o único a conseguir andar no mesmo ritmo de Márquez durante toda a primeira parte da prova, perdia mais e mais de seu bom momento a cada volta, com Viñales, Petrucci, Dovizioso e um impressionante Bautista chegando para brigar pela última posição no pódio. No fim, como já virou costume, Viñales conseguiu melhorar seu desempenho na segunda parte da corrida e foi o vencedor da briga, com Petrucci fechando na quarta colocação - igualando assim seu melhor resultado na temporada, e Bautista fechando o top5 para conquistar seu melhor resultado em mais de uma ano, além de, com a Desmosedici GP7, terminar a frente das duas Ducati de fábrica.

Depois de perder muito ritmo Lorenzo fechou apenas na sexta colocação, com Dovizioso, também com dificuldades na degradação dos pneus, em sétimo, colocando um fim quase desastroso a uma corrida que de início pareceu muito promissora para a marca de Borgo Panigale. 

Dani Pedrosa, apático como em todo o resto da temporada, Zarco - recuperando-se de um fraco início de corrida - e Bradley Smith, com o melhor resultado da KTM no ano, completaram o top10.

No campeonato de pilotos, Márquez chega aos 165 pontos, 46 a frente de Rossi, com Viñales ainda em terceiro, agora 56 pontos atrás.