quinta-feira, 12 de julho de 2018


Um emocionado Dani Pedrosa veio a público nesta quinta-feira (12) para confirmar sua aposentadoria da categoria máxima do motociclismo mundial. 

No último mês Pedrosa e HRC já haviam confirmado que não continuariam sua parceria iniciada em 2006, mas o espanhol de 33 anos ainda procurava uma nova casa na MotoGP com uma equipe satélite da Yamaha sendo colocada como possível rumo, uma vez que todas as vagas nas equipes de fábrica já estavam fechadas. No entanto, Pedrosa agora confirma que deixará o certame após 13 anos, todos eles com a Honda.

Na MotoGP Pedrosa conquistou 31 vitórias, 112 pódios, 31 poles e 3 vice-campeonatos. De fato, desde que entrou no mundial em 2001, Pedrosa só usou motos Honda, sendo campeão das 125cc em 2003 e bicampeão da 250cc em 2004 e 2005.

Falando sobre a decisão de se retirar, Pedrosa afirmou: “Essa é uma decisão que eu pensei por muito tempo e é muito difícil, pois esse é um esporte que eu amo. Mas mesmo tendo boas oportunidades, sinto que não vivo a corrida tão intensamente como antes e agora tenho outras prioridades na minha vida”.

"Tem sido uma vida incrível poder correr por uma equipe tão importante. Posso dizer que conquistei muito mais do que eu esperava e que estou muito orgulhoso de tudo o que eu fiz. Eu alcancei o meu sonho de me tornar um piloto"

É importante destacar que, apesar de não ter sido campeão como todos acreditavam após o seu desempenho meteórico nas categorias de base, Pedrosa ajudou a Honda a conquistar sete campeonatos de construtores, além de seis títulos de equipes com a Repsol.

Após a coletiva Carmelo Ezpeleta, CEO da Dorna, comunicou que Pedrosa será introduzido no rol das Lendas da MotoGP. A introdução acontecerá no GP de Valência, última corrida do espanhol no certame.